Hérnia Inguinal

O que é a Hérnia Inguinal?

5965.jpg

Para entendermos a hérnia inguinal na criança é preciso sabermos um pouco sobre a migração do testículo desde o local onde é formado, no abdome, até o saco escrotal. Durante essa descida do testículo para a bolsa escrotal, ele traz consigo uma membrana (peritônio), que, nesse trajeto, passa a se chamar conduto peritônio-vaginal e deve se fechar completamente até o nascimento. Quando o conduto peritônio-vaginal não se fecha completamente ou fica totalmente aberto, teremos a hérnia inguinal nos meninos.

Nas meninas, durante a gestação, existe um canal que comunica o interior do abdome aos grandes lábios da vulva (chamado canal de Nuck). Quando este canal não se fecha durante a gestação e permanece aberto, temos a hérnia inguinal.

Nas hérnias inguinais o conteúdo abdominal (alça intestinal ou gordura) se insinua pela região inguinal (virilha), passando pelo conduto peritoneal (meninos) ou pelo canal de Nuck (meninas), causando um abaulamento na região inguinal quando a criança faz algum esforço (choro, tosse, brincando). Em alguns casos, nos meninos, esse conteúdo abdominal pode chegar até a bolsa escrotal (Hérnia Inguino-Escrotal).

A hérnia inguinal é um problema comum em crianças, principalmente nos meninos, podendo ser observadas em todas as idades, desde os recém-nascidos, especialmente os prematuros, até crianças maiores. Ocorre mais frequentemente do lado direito (± 60%) e, em cerca de 10 a 20% dos casos, pode acometer os dois lados.

 

Quais os sintomas da Hérnia Inguinal?

 

O principal sintoma da hérnia inguinal é um abaulamento na região inguinal (virilha), que aumenta quando a criança faz algum tipo de esforço (choro, tosse, brincando, etc.) e reduz quando está relaxada. Normalmente, não causa dor, sendo notado pelos pais durante as trocas de fraldas.

Algumas vezes, pode ser observado um aumento de volume na bolsa escrotal.

Em alguns casos, quando a hérnia não retorna para o abdome (hérnia encarcerada), pode causar dor e deve ser avaliada com urgência, pois pode causar problemas graves, principalmente se ocorrer lesão da alça intestinal que se encontra no interior da hérnia (hérnia estrangulada).

 

Porque tratar?

 

Assim que o diagnóstico da hérnia inguinal é feito, a cirurgia deve ser indicada e planejada. Não é uma urgência, mas não se deve esperar muito, pois existe risco de complicações. A chance da hérnia encarcerar duplica após cerca 2 a 3 semanas do diagnóstico.

A hérnia pode entrar no canal inguinal e não retornar mais para o abdome (hérnia encarcerada) ou mesmo torcer no seu próprio eixo ou sofrer estrangulamento (hérnia estrangulada). Ambos os casos são urgências, na maioria das vezes, precisando cirurgia imediata. Por isso, é importante antecipar o problema, operando antes que uma dessas complicações ocorra.

 

Como é a cirurgia?

 

Uma pequena incisão é realizada na região inguinal (virilha), por onde a hérnia é identificada, dissecada e ligada (amarrada). Em alguns casos de hérnias maiores, pontos de reforço no canal inguinal são dados para prevenir recidiva.

410270-PD4US4-854.png