Bexiga Neurogênica

O que é Bexiga Neurogênica?

A bexiga, em condições normais de funcionamento, apresenta algumas propriedades características:

 

  • Armazenamento: Capacidade de armazenar urina até o momento da micção. O armazenamento deve aconteces sem que ocorra aumento da pressão no interior da bexiga, ou seja, quanto mais a bexiga enche, suas paredes se distendem para que ela consiga manter a pressão no seu interior sempre baixa. Essa propriedade é chamada de complacência.
     

  • Esvaziamento: A bexiga tem a capacidade de se esvaziar completamente com a micção. Nessa fase, a bexiga se contrai e, concomitantemente, acontece o relaxamento do esfíncter urinário (músculo que impede a saída de urina), permitindo assim que a urina saia sem dificuldade.

BHH.jpg

Diversas doenças neurológicas podem acometer de alguma forma o envio de comandos nervosos para a bexiga, alterando assim seu funcionamento. Esses problemas podem atrapalhar desde o armazenamento de urina, como também sua eliminação. O funcionamento desordenado possibilita o surgimento de problemas para todo o sistema urinário.

 

Em alguns casos, bexiga pode perder sua elasticidade, em especial se sua parede fica muito espessada e grossa. Como consequência, a bexiga não consegue acomodar volumes urinários maiores e a pressão fica aumentada no seu interior. A pressão muito alta é transmitida para os rins, que se dilatam e podem sofrer perda de função. Em outros casos, podem também ocorrer contrações involuntárias, que além de aumentarem a pressão dentro da bexiga, podem se manifestar com perdas de urina (incontinência), causando um evidente desconforto social. Alguns pacientes apresentam o esfíncter constantemente relaxado, não conseguindo segurar a urina, e perdem urina continuamente.

 

Causas

 

A principal causa de bexiga neurogênica em criança é o disrafismo espinal, sendo a mielomeningocele o tipo mais comum.

Além disso, traumatismos na coluna (trauma raquimedular), tumores tanto da medula, quanto do cérebro, e paralisia cerebral também podem causar bexiga neurogênica.

 

Quais os principais sintomas?

 

  • Infecções urinárias com ou sem febre

  • Incontinência de Urina, que pode ser contínua ou intermitente

  • Distensão do abdome por estar com a bexiga constantemente cheia

  • Incontinência Fecal

  • Hidronefrose (dilatação renal), vista no ultrassom

 

Quando e como avaliar as crianças com Bexiga Neurogência

 

As crianças com mielomeningocele devem ser acompanhadas pelo urologista pediátrico desde o nascimento, ainda no berçário. Nos demais casos, o acompanhamento especializado com urologista pediátrico deve iniciar tão logo o diagnóstico do problema neurológico seja feito.

Os principais exames que devem ser feitos são:

  • Ultrassom dos rins e vias urinárias – avalia o rim e a bexiga

  • Urodinâmica – avaliar a função e as pressões da bexiga durante seu enchimento e esvaziamento

  • Uretrocistografia – avaliar anatomia da bexiga, uretra e presença de refluxo vesicoureteral 

  • Ressonância Magnética da coluna espinhal – geralmente solicitado pelo neurocirurgião para avaliar a medula espinhal

  • Exames laboratoriais (Sangue e urina) – avaliar função renal e infecções urinárias

  • Cintilografia renal – avaliar a função renal e presença de lesões renais

 

Por que tratar?

 

No passado quase 70% dos pacientes com bexiga neurogênica morriam por complicações urológicas, em geral insuficiência renal e infecções urinárias e generalizadas. Hoje conhece-se muito mais sobre a fisiologia da micção e o funcionamento complexo da bexiga e a expectativa de vida desses pacientes aumentou substancialmente, sendo semelhante à população geral.

 

O objetivo principal do tratamento é a preservação da função renal, que é feito por medidas para manter a bexiga com baixas pressões e evitando infecções urinárias. Outros objetivos secundários são o tratamento da incontinência urinária, constipação e incontinência fecal.

 

Dentre as formas de tratamento, podemos citar:

  • Cateterismo Intermitente Limpo (CIL): Tem o objetivo de manter a bexiga vazia através da passagem de cateter (sonda) na bexiga periodicamente. Isso é feito em casa, pelos pais/responsáveis ou pela própria criança.

  • Medicamentos: Algumas medicações, como os anticolinérgicos, agem na bexiga, relaxando a sua musculatura e diminuindo a pressão no interior da bexiga e aumentando sua capacidade.

  • Toxina Botulínica (BotoxÒ): A injeção de toxina botulínica na parede da bexiga é feita via cistoscopia (exame que coloca um telescópio dentro da bexiga) e serve para relaxar sua parede e diminuir a pressão em seu interior.

  • Cirurgias:

    • Ampliação Vesical: Consiste no aumento da bexiga com uso de um seguimento de intestino para diminuir a pressão em seu interior e aumentar sua capacidade de armazenar urina.

    • Cirurgia para Continência Urinária: Algumas cirurgias são feitas para aumentar a resistência à saída de urina e tratar a incontinência urinária. Essas cirurgia podem ser feitas com uma plástica da saída da bexiga ou uso de esfíncteres artificiais.

    • Conduto Cateterizável: Muitas vezes, para se fazer o cateterismo intermitente limpo com mais facilidade e conforto, pode-se criar um conduto que liga a bexiga até a pele no abdome, geralmente até o umbigo. Para isso, usa-se o apêndice ou um pequeno pedaço do intestino.

 

O urologista pediátrico é o médico com conhecimento especializado para avaliar a função da bexiga e realizar o tratamento adequado para a bexiga neurogênica, podendo evitar tanto as consequências mais graves da bexiga neurogênica, como as infecções urinárias, pielonefrites e insuficiência renal, como as menos graves e com consequências na qualidade de vida, como a incontinência urinária e fecal.