Infecção Urinária

O que é infecção urinária?

Infecção urinária é definida como a presença de bactérias na urina.


Os sintomas de infecção urinária variam com a idade da criança, sendo mais inespecíficos nos primeiros meses de vida, como prostração, perda de apetite, irritabilidade e febre, e vão ficando mais específicos à medida que a criança vai crescendo e adquirindo o controle miccional. Assim, crianças mais velhas queixam de ardor para urinar, dor na barriga, passam a fazer xixi toda hora e, em alguns casos, a perder xixi na cueca/calcinha.


Sendo assim, toda criança que apresenta febre de origem não bem explicada ou algum desses sintomas deve ser avaliada quanto a possibilidade de uma infecção urinária.

45112f5b61c80e62.jpg

As infecções urinárias podem apresentar diferentes níveis de gravidade, mas quando são acompanhadas de febre devem ser especialmente valorizadas, pois podem necessitar de internação, até evoluir para quadros mais graves e deixar sequelas (cicatrizes) nos rins.

Em grande parte das vezes, a infecção urinária na criança acontece devido a um problema congênito dos rins e das vias urinárias.

Como tratar?

 

Toda criança com suspeita de infecção urinária deve fazer um exame de urina (EAS), avaliação da presença de bactérias na urina (bacterioscopia) e cultura de urina com antibiograma. Só assim, podemos confirmar a presença de infecção urinária e, caso esteja presente, saber qual a bactéria que está causando a infecção e qual o melhor antibiótico para combatê-la.

Para se colher a urina, em crianças que ainda não retiraram as fraldas, o melhor método é por cateterismo (passagem de sonda até a bexiga para retirar a urina). Esse método permite o diagnóstico mais preciso da infecção e, por conseguinte, um melhor tratamento.

O ideal é que o tratamento com antibiótico seja iniciado o mais rápido possível, para minimizar as chances das complicações da infecção urinária. Como o exame de cultura de urina demora alguns dias para ficar pronto, o início do tratamento é empírico, ou seja, com antibióticos mais prováveis para combater a infecção. Quando a cultura fica pronta, o médico deve conferir qual o melhor antibiótico para aquela infecção e, sem necessário, trocar o tratamento.

Toda infecção urinária deve ser tratada com antibióticos e de acordo com a gravidade da mesma pode exigir internação hospitalar para receber antibióticos na veia.

Alguns cuidados podem ajudar a prevenir novos episódios de infecção urinária:

  • Sempre faça a higiene da vagina de frente para trás, nunca do ânus em direção à vagina

  • Ofereça bastante líquido

  • Mantenha o intestino funcionando regularmente

  • Ofereça alimentos com fibra

  • Oriente a criança a não segurar muito a urina e urinar em intervalos regulares, não maiores que cada 3 horas

  • Troque as fraldas com frequência

 

Como avaliar?

 

Como, em grande parte das vezes, as infecções urinárias das crianças estão relacionadas a problemas congênitos do sistema urinário ou a problemas de funcionamento da bexiga, tão

Importante quanto tratar a infecção com antibióticos é fazer o diagnóstico do problema que causou a infecção.

 Nos primeiros anos de vida, o refluxo vesicoureteral pode ser a causa em até 50% destas infecções. As outras causas comuns são obstruções das vias urinárias como estenose da JUP, megaureter, ureterocele, válvula de uretra posterior entre outras (vide tópicos específicos).

Toda criança que apresentou infecção urinária deve fazer uma ultrassonografia dos rins e bexiga, independente se aquela for a primeira vez que tem infecção. A ultrassonografia ajuda a avaliar se está tudo bem com os rins e vias urinárias, porém não consegue dizer se tem ou não refluxo vesicoureteral. O único exame capaz de avaliar a presença do refluxo vesicoureteral é a uretrocistografia miccional, que apesar de ser um exame desconfortável para a criança, é importante para avaliar a presença ou não do refluxo vesicoureteral e, assim, orientar qual o melhor tratamento para se evitar futuras infecções urinárias.

Como uma das consequências da infecção urinária é a formação de cicatrizes renais, realização da cintilografia renal com DMSA, feita de 4 a 6 meses após a infecção urinária, é importante para avaliar os rins e identificar a presença ou não de tais cicatrizes.

No caso de dúvidas sobre o tratamento e investigação da criança que apresentou infecção urinária, converse sempre com um especialista, somente este poderá te dar as melhores orientações de como conduzir o caso.