Hidrocele

O que é a Hidrocele?

Para entendermos a hidrocele na criança é preciso sabermos um pouco sobre a migração do testículo desde o local onde é formado, no abdome, até o saco escrotal. Durante essa descida do testículo para a bolsa escrotal, ele traz consigo uma membrana (peritônio), que, nesse trajeto, passa a se chamar conduto peritônio-vaginal e deve se fechar completamente até o nascimento. Quando o conduto peritônio-vaginal não se fecha completamente, deixando uma passagem muito estreita até o saco escrotal, teremos a hidrocele comunicante.

A hidrocele consiste  na presença de líquido ao redor do testículo. Na criança, isso ocorre devido a persistência do conduto peritônio-vaginal, que é um canal muito fino que comunica o abdome com a bolsa testicular, permitindo a passagem de líquido abdominal para dentro do saco escrotal.

hidrocele.jpg

Normalmente, o aumento de volume escrotal é intermitente, ou seja, aumenta ou diminui conforme a criança chora ou faz atividades, estando maior ao final do dia e diminuído pelas manhãs.

Hidrocele é um problema comum e está presente em muitas crianças ao nascimento. No entanto, em cerca de 50% a 70% dos casos a hidrocele melhora sozinha até por volta de um ano a um ano e meio de idade. Após esse período, se a hidrocele persistir, a cirurgia está indicada.

 

Quais os sintomas de Hidrocele?

 

O principal sintoma das hidrocele é o aumento de volume da bolsa escrotal que, na criança, na maioria das vezes, é intermitente, aumentando durante o dia, após atividades diárias e reduzindo ao repouso. É comum observar o aumento no final do dia e a bolsa escrotal vazia pela manhã.

A hidrocele é indolor, mas pode causar desconforto se aumentar muito de tamanho.

 

Porque tratar?

 

A persistência do conduto peritônio-vaginal levará com muita frequência à formação de hérnias. Nesse caso, uma alça intestinal pode entrar no canal inguinal e não retornar mais para o abdome (hérnia encarcerada) ou mesmo torcer no seu próprio eixo (hérnia estrangulada).

Além disso, a hidrocele causa aumento de volume da bolsa escrotal e desconforto para a criança e, se não tratada, pode aumentar de tamanho.

O tratamento da hidrocele é cirúrgico. A idade ideal para a cirurgia da hidrocele é depois que a criança completa um ano de vida, assim já quase não há chance de melhora espontânea.

 

Como é a cirurgia?

 

Uma pequena incisão é realizada na região inguinal (virilha), por onde o conduto peritônio-vaginal é identificado, dissecado, ligado (amarrado) e ressecado. O testículo é então tracionado até a virilha e exposto pela mesma incisão. A túnica vaginal (membrana que envolve o testículo) é então aberta e ressecada para evitar recidiva da hidrocele. O testículo é posicionado de volta na bolsa escrotal e a incisão é fechada com pontos.