Urologia Pediátrica

Pesquisadores usam fisioterapia no tratamento de crianças que fazem xixi na cama

Quem nunca fez “xixi na cama”? Trocar os lençóis, a roupa e colocar o colchão para secar são situações muito comuns para quem tem filhos pequenos, especialmente no processo de retirada das fraldas. O que fazer quando a criança já deveria ter deixado as fraldas, mas continua molhando a cama? Embora muitos pais ajam como se fosse uma opção da criança e acabem até apelando para a punição, o caso pode estar associado a um distúrbio, conhecido como enurese. Além de oferecer um ambulatório no Hospital Universitário especialmente voltado para o atendimento de crianças com enurese, pesquisadores da UFJF têm desenvolvido estudos a fim de entender melhor esse distúrbio. Os resultados são satisfatórios: o grupo encontrou relações da asma e da amamentação com a doença e vem testando um método de tratamento fisioterapêutico que, além de não oferecer riscos, apresenta baixo custo e tem demonstrado excelentes resultados.

Dr. José MurilloO coordenador da pesquisa e responsável pelo setor de Urologia Pediátrica do HU/UFJF, José Murillo Bastos Netto, esclarece que a enurese afeta milhares de crianças, “ainda assim, nós entendemos muito pouco sobre ela. Há muitas dúvidas sobre as causas e os tratamentos ainda são demorados, frustrantes para a família e, muitas vezes, podem não ser eficazes. Por isso recolhemos informações para entender melhor esse distúrbio e buscamos alternativas para os métodos já existentes”.

José Murillo explica que três métodos são usados para tratá-la: o medicamentoso, que consiste em remédios que auxiliam a diminuir a produção de urina; o comportamental, que nada mais é do que a mudança de hábitos; e o de condicionamento, caracterizado pelo uso de um alarme que apita ao identificar a umidade, auxiliando a criança a ir ao banheiro. O médico, no entanto, alerta para o fato de os tratamentos ainda serem caros. “Para quem não tem condições financeiras, pagar um alarme e a medicação não é uma alternativa. Além disso, é preciso pensar se realmente é interessante para a criança ingerir tantos remédios em longo prazo”.

A fim de oferecer um tratamento capaz de driblar as dificuldades dos métodos tradicionais, o grupo tem testado um procedimento fisioterapêutico. Buscando inibir as contrações da bexiga, ele é baseado na eletroestimulação dos nervos existentes na raiz sacral através de dois eletrodos, que emitem uma corrente elétrica de baixa frequência, evitando dores e incômodos. A fisioterapeuta responsável pela pesquisa, Liliana Fajardo, explica que foi pesquisado um recondicionamento neural definitivo. “A fisioterapia provoca esse efeito, ela inibe as contrações excessivas durante o sono e ajuda a criança a parar de fazer xixi na cama.”

A pesquisa, que começou em 2009, foi inovadora. Segundo Liliana, “não existia nenhum estudo na literatura mundial que utilizava essa técnica para tratar a enurese monossintomática (em que o único sintoma é o xixi na cama) e essa lacuna nos incentivou a pesquisar nessa linha.” Os resultados foram positivos – houve uma redução de 78,3% de noites molhadas para 31,2% com as crianças que receberam o tratamento – e o trabalho foi publicado no The Journal of Urology, a maior entidade de Urologia do mundo. “Agora, continuamos a pesquisa, inserindo um novo grupo e aumentando o número de sessões para tentar potencializar os resultados”.

Localização do Consultório do Dr. José Murillo

Localização

Av. Rio Branco, 2985 sala 605
Centro
Juiz de Fora/MG
36010-012

(32) 3218-9899

Localização completa do consultório do Dr. José Murillo, mostrando locais próximos para estacionamento, pontos de taxi e ônibus.

Fechar

Atendimento

Preencha todos os campos do formulário abaixo para enviar sua mensagem ao consultório do Dr. José Murillo

© 2014. Todos os direitos reservados.